Ailimy,

Vou começar pedindo desculpas às minhas outras amigas. Não é menosprezo, não é desdenho, é uma questão de sintonia, eu acho. Eu amo vocês igualzinho.

Dito isso, fico mais à vontade pra me declarar pra essa amiga, que hoje tá completando mais um ano de vida, a minha (e acredito que do mundo todo) única Ailimy. Um nome que, inclusive, te cai muito bem, já que você é (e gosta de ser) exclusiva na maioria dos aspectos. 

Amiga, o que eu te disse ontem, vou repetir aqui: o mundo é quem ganha um presente quando comemora mais um ano da tua presença nele. Você é uma coisa incrível. É daqueles casos raros de “kit completo”. 

Estar (e viver) longe de você é um desafio (juro). Um desafio porque você me completa tanto, que até na hora de escolher pra que lado usar a franja você faz falta. Não digo que esse tipo de decisão é o tipo difícil de ser tomado, nem é o caso, inclusive acho que o fato de serem decisões bobas só tornam a sua opinião mais indispensável ainda, porque transforma momentos simples em diversão. Também faz falta na hora de tomar decisões mais sérias, prometo. Em resumo, no quesito “a falta que você me faz”, eu posso falar com total sinceridade, é o tempo todo. 

Como eu sou egoísta, e confesso que invejo um pouco (daquela inveja branca, prometo também) as pessoas que estão perto de você nesse dia (e nos outros também), repare que eu só falei do impacto da tua ausência pra mim.

Portanto deixa eu falar mais especificamente de você. Você é uma pessoa completamente incrível. Quem te conhece sabe do que eu to falando. Você é tudo na medida (exceto pela medida de distância de mim, que, na minha opinião, seria melhor se fosse razoável pra caber em “metros” ao invés de “kms”). É inteligente na medida, centrada na medida, inconsequente na medida, dedicada na medida, séria na medida, engraçada na medida, e (uma das minhas prediletas) sarcástica na medida.

Tenho orgulho de fazer parte da tua vida na categoria “amigos”, sinto alívio sempre que lembro que posso contar com você quando precisar, que posso confiar na tua palavra e nas tuas atitudes. Com você eu divido o meu gosto pelas séries de TV, pelo sarcasmo do House, pela moda, pelo cabelo da Carrie (que é um elogio não tão indireto pro teu próprio cabelo), pela música POP, pelos personagens adolescentes e por algumas outras coisas que, convenhamos, fica entre nós.

O que eu quero mesmo dizer é que eu te desejo (e você sabe disso com muita certeza) toda a felicidade desse universo. Eu desejo que você alcance todos as suas metas, que você realize todos os seus sonhos, que você alcance a maturidade e a sabedoria que você merece, com plenitude e paz. Ah, e eu te desejo muito amor. Aquele que você ainda não tem certeza se existe (te conheço, não nega), e eu deixo você me jogar na cara quando encontrar. E aquele outro amor, o de família, o de amigo, esse igual o meu por você.

A demonstração pública (você sabe que não é a minha praia) e o tamanho do texto (também, não minha especialidade) são uma tentativa de te desejar parabéns com a intensidade de um abraço. Espero que surta o efeito.

Amiga, em resumo, o teu único defeito (além de morar longe) é gostar de sertanejo. 

Te amo e sinto a sua falta o tempo todo!

Gabriela.

Tenho preguiça de tudo que não é incrível.

Tati Bernardi (via me-transbordo)

(Source: ca-sulo, via oh-lasqueira)